PUBLICIDADE

Pecuaristas têm até hoje para vacinar o rebanho contra aftosa


PUBLICIDADE
  • mell280

15/06/2011 08h43

Pecuaristas têm até hoje para vacinar o rebanho contra aftosa

A Gazeta News/PP


Os pecuaristas de Mato Grosso do Sul, especialmente do Cone Sul do Estado, tem até hoje, dia 15 de junho, para vacinar o rebanho contra a febre aftosa. O prazo inicial se inspiraria dia 31 de maio, mas acabou prorrogado.

Com o alongamento do prazo, que também abrange os municípios que integram a ZAV (Zona de Alta Vigilância), que tem território em uma faixa de 15 quilômetros da fronteira entre Brasil e Paraguai, também foi prorrogado o prazo para o pecuarista registrar a vacinação do rebanho junto ao Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), que se inspiraria no dia 15 de junho agora passou para o dia 30 deste mês.

Segundo a Iagro, a multa para quem não vacinar o rebanho dentro do prazo é de três Uferms (Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul) por cabeça. Hoje cada Uferms gira em torno de R$ 15 reais.

De acordo com a Iagro, o produtor rural que comprar a vacina, porém não registrar a vacinação dentro do prazo estipulado também é punido com multa, neste caso, o valor é de meia Uferms para cada animal.

Controle Rigoroso

A vacinação do rebanho bovino, que segundo a Iagro deve acontecer de “mamando a caducando”, ou seja, desde bezerros recém nascidos a gado criado, é rigorosamente controlado.

Segundo o diretor regional da Iagro, com sede em Amambai, o médico veterinário Carlos Piva, por meios eletrônicos a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal controla a vacinação, rastreando desde a compra da vacina na loja até a aplicação nos animais.

“Quando o produtor compra a vacina, automaticamente a compra é lançada no sistema pelo vendedor e duas vezes por dia recebemos esses dados atualizados”, informou Carlos Piva ao ressaltar que esgotado o prazo para a venda da vacina, que no caso deste ano vai se expirar às 23h59 do dia 15 de junho, o produtor que deixou de fazer a aquisição é notificado em seguida a comparecer em um escritório da Iagro para regularizar sua situação.

Vacinas vindas de fora

Muitos pecuaristas que tem propriedades em municípios do Cone Sul do Estado, são de outros estados como Paraná e São Paulo e acabam trazendo a vacina de seus estados de origem.

Segundo Carlos Piva, que é responsável pelas unidades da Iagro de Amambai, Laguna Carapã, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Paranhos, Sete Quedas e Tacuru, essa prática é comum e permitida, porém, diferentemente das vacinas compradas no Estado, esse material não é lançado no sistema.

“Nesse caso o produtor tem que procurar um posto da Iagro com a vacina e a nota de compra do estado onde foi adquirida. A vacina é submetida a uma inspeção e só depois disso é lançada no sistema e liberada para ser aplicada no rebanho”, informou o diretor regional.

Vacinação no Cone Sul

Pelos dados parciais da Iagro, a vacinação do rebanho da região Cone Sul de Mato Grosso do Sul está bastante avançada.

Em boa parte dos municípios a Agência já consegue levantar que a vacinação já atingiu 100% de eficácia, inclusive dentro da Zona de Alta Vigilância aonde até o ano passado (2010) a vacinação era feira pela própria Iagro e com vacina custeada pelo Estado e neste ano voltou a ser realizada pelo produtor rural.

Na área de abrangência da Regional da Iagro de Amambai, que tem um rebanho aproximado de 716 mil cabeças, 362 mil só em Amambai, a vacinação já foi quase que totalmente concluída.





PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE