PUBLICIDADE

Índios voltam a ocupar fazenda de ex-prefeito e três funcionários viram reféns


PUBLICIDADE

22/08/2015 14h00

Índios voltam a ocupar fazenda de ex-prefeito e três funcionários viram reféns

Região é palco histórico de conflitos entre índios e fazendeiros e onde há 32 anos Marçal de Souza foi assassinado; DOF informou que resgatou funcionários que foram feitos de reféns pelos índios

Helio de Freitas, de Dourados, e Luana Rodrigues


 




 
Área vizinha da Fazenda Primavera, em Antonio João, onde mulher e criança conseguiram se esconder após invasão de índios (Foto: Divulgação/DOF)Área vizinha da Fazenda Primavera, em Antonio João, onde mulher e criança conseguiram se esconder após invasão de índios (Foto: Divulgação/DOF)

Índios voltaram a ocupar uma propriedade no município de Antonio João, a 279 km de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai. A Fazenda Primavera pertence ao ex-prefeito Dácio Queiroz Silva, foi invadida na madrugada deste sábado por pelo menos 40 pessoas. O DOF (Departamento de Operações de Fronteira) informou que três pessoas mantidas como reféns pelos índios foram resgatadas por policiais, mas não houve interferência na ocupação.

 

O município de Antonio João já foi palco de vários conflitos entre índios e fazendeiros, principalmente no início dos anos 2000. Entretanto, os confrontos começaram bem antes. Em 1983, o líder guarani Marçal de Souza Tupã’Y foi assassinado próximo à aldeia Campestre.

Dácio Queiroz Silva informou ao Campo Grande Newsque cinco pessoas estavam na fazenda, o capataz, a mulher dele e três filhos do casal. A mulher e uma criança de oito anos conseguiram correr e pediram ajuda a uma pessoa que encontraram em uma estrada próxima. Depois foram levadas para uma fazenda vizinha, de onde foram removidas nesta manhã por uma equipe do DOF e levadas para a cidade.

O capataz e outros dois filhos teriam sido amarrados e ameaçados pelos índios. Eles foram mantidos sob cárcere na sede da fazenda até a chegada dos policiais, na manhã deste sábado.

“Aqui o litígio não se resolve há 17 anos. Qualquer tentativa de ampliação desta invasão é ilegal”, afirmou Dácio Queiroz.

Índios armados – Em nota, a assessoria de comunicação do DOF informou que os índios entraram na fazenda armados com facas, flechas e armas de fogo. O capataz e os dois adolescentes foram encontrados amarrados e teriam sido agredidos pelos índios. Eles liberados por volta das 5h após a chegada de equipes do DOF.

De acordo com o departamento, não houve nenhum tipo de confronto e as três vítimas foram socorridas pelos policiais, bem como a mulher e a criança, localizadas por volta de 8h por outra equipe do DOF que estava nas proximidades.

Moradores informaram aos policiais que parte dos índios que invadiram a fazenda seria de outras regiões de Mato Grosso do Sul, o que levanta suspeita de planejamento novas ocupações com um grande número de índios até mesmo de outras aldeias.

O DOF informou que suas equipes continuam fazendo patrulhamento na área para evitar confrontos e para resguardar a integridade física tanto de produtores quanto dos índios. Os funcionários da fazenda foram levados para a Delegacia de Polícia Civil em Antônio João, para registrarem o boletim de ocorrência da invasão e por lesão corporal.





PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE