PUBLICIDADE

Usar mototáxi e táxi está mais caro em Campo Grande a partir desta sexta-feira


PUBLICIDADE
  • mell280

01/07/2011 15h30

Usar mototáxi e táxi está mais caro em Campo Grande a partir desta sexta-feira

Jucyllene Castilho


 A tarifa fixa dos serviços de mototáxi e táxi da Capital aumenta a partir desta sexta-feira de 8% a 20%. O reajuste foi divulgado nesta semana no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), depois de sancionada pelo prefeito municipal, Nelsinho Trad (PMDB). Ele se reuniu com os sindicatos das categorias, onde analisou as sugestões de reajuste e com base nos argumentos, definiu o novo valor.

Houve aumento de 8% na tarifa dos mototaxistas e 20% para os taxistas. “Estávamos esperando um reajuste de pelo menos 15% ou 16%, pois tem que se levar em conta não só o combustível, mas os desgastes dos pneus e a manutenção do veículo. Afinal, percorremos boa parte de Campo Grande”, explica o presidente do Sindmototaxista (Sindicato dos Mototaxistas), Durvair Boaventura de Oliveira Caburé.

Ele explica que atualmente há 700 mototaxistas e 446 mototáxis em Campo Grande. “O número de mototaxista é maior do que de veículo, porque muitos deles revezam a mesma moto, está aí, um dos motivos do veículo necessitar de mais atenção, pois o trabalhador pára, mas a moto não”.

Veja os novos valores que vigoram: para táxi, a Bandeira I é de R$ 2,40 por km rodado; R$ 2,80 a Bandeira II; R$ 4,50 a bandeirada de Táxi Comum; a Bandeirada de Táxi do Aeroporto passa para R$ 8,56; já a parada será de R$ 16,00 e R$ 0,40 para o volume transportado com dimensão superior a 70cm x 40cm x 20cm.

Já a tarifa dos mototaxista será de R$ 0,86 por km rodado na Bandeira I; a Bandeira II passa para R$ 1,02; R$ 2,20 a Bandeirada de moto-táxi e R$ 14,00 por hora parada.

População

“Acho que fica pesado no orçamento para quem recebe um salário mínimo ou então comercial. Às vezes, temos que pegar um destes veículos por uma necessidade e com certeza isso vai pesar depois no bolso, pois o reajuste deles sempre são maiores que nosso salário, assim como dos demais produtos”, fala a auxiliar de administração, Eliane Barros, 23 anos.

O auditor, José Olímpiuo, 23 anos, é favorável ao reajuste. “É justo, uma vez que somos únicos neste tipo de veículo. Já o valor do ônibus parece ser mais acessível, pois é de R$ 2,70, porém não há espaço, ficamos exprimidos e sem lugar para sentar”. 





PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE