PUBLICIDADE

Comércio de Corumbá se adapta a legislação de venda de plugues e tomadas


PUBLICIDADE
  • mell280

05/07/2011 13h50

Comércio de Corumbá se adapta a legislação de venda de plugues e tomadas

Diarionline


 Desde o dia 1º de julho está em vigor o novo padrão brasileiro de venda de plugues e tomadas. De acordo com as novas normas, os plugues, vendidos isoladamente ou em aparelhos eletroeletrônicos expostos no mercado brasileiro, só poderão ser de dois tipos: com dois ou três pinos redondos.

Essa mudança se deve a Lei n° 11.337, de 26 de julho de 2006, que determina que as edificações cuja construção se inicie a partir de sua vigência, devem obrigatoriamente possuir sistema de aterramento e instalações elétricas compatíveis com a utilização do condutor-terra de proteção, bem como tomadas com o terceiro contato correspondente.

"A nova padronização dos plugues já chegou a Corumbá. A procura pelos novos padrões ainda não está com um movimento grande, pois a maioria dos moradores locais ainda tem equipamentos eletrônicos em casa com as tomadas antigas e aqueles que comprarem um equipamento com os novos plugues, terão preferência pelo adaptador, pois sempre optarão por aquela tomada que privilegie a maioria dos eletrodomésticos que possuem em casa", disse o assistente administrativo de uma loja de materiais de construção, Robson Delmão, 25 anos.

Percorrendo os corredores das lojas de construção da cidade, a reportagem observou que as novas tomadas já estão à disposição dos consumidores e que as antigas foram retiradas das prateleiras por representantes do Inmetro. "Há alguns dias o Inmetro visitou a loja, esclareceu a nova regulamentação e de imediato retirou as tomadas que não eram compatíveis com a legislação. Foi uma perda para o comércio, porém, se é a legislação, temos apenas que cumpri-la", enfatizou o assistente.

Já em outra loja, o gerente Waldir Xavier, explicou ao Diário que também por orientação do Inmetro, as tomadas que não são compatíveis com a nova legislação foram retiradas das prateleiras e está aguardando a visita dos representantes dos produtos para uma possível negociação.

"Nossa loja está aguardando a presença dos representantes das marcas para uma possível negociação, pois adquirimos os produtos quando essa legislação não estava sendo cobrada e agora, tivemos de retirar várias peças das prateleiras. Se a negociação não ocorrer, vamos ficar com um prejuízo considerável. O jeito agora é aguardar e se adequar. Outra questão, é que os consumidores que estão adquirindo as novas tomadas, estão tendo problemas ao chegar em casa, porque a tomada não corresponde à instalação elétrica que eles possuem, logo, o cliente terá que alterá-la, então ele vem até a loja e quer a devolução do dinheiro, ou a troca do produto. A saída é explicar para ele que as antigas tomadas não estão sendo revendidas e que infelizmente, ele terá que adequar a instalação elétrica de sua residência", ressaltou Waldir.

No mercado local, os plugues podem variar de R$ 1,80 a R$ 6; as tomadas variam de R$ 2,99 a R$ 6.

Fronteira

Os corumbaenses podem enfrentar ainda outro problema, já que muitos aproveitam da proximidade com a fronteira e adquirem produtos no país vizinho. "Essa nova regulamentação trará alguns transtornos para a população local, pois muitos se aproveitam da fronteira com a Bolívia e adquirem aparelhos eletrônicos no outro país e a maioria dos aparelhos de lá, possui tomadas com pinos chatos. A saída será o uso de adaptadores, o que pode ser um risco, caso o consumidor não saiba usá-los", alertou Waldir.

Padronização

A padronização dos plugues começou a ser implementada em 2000, quando havia ao menos 12 tipos de plugues e oito tipos de tomadas diferentes no mercado, o que tornava obrigatório o uso de adaptadores.

O que mudou a partir do dia 1º de julho, foi a entrada definitiva no mercado dos plugues de três pinos, em que um dos pinos tem a função de fazer o aterramento. Essa nova regulamentação só é obrigatória para equipamentos de maior potência. Nos demais casos, o formato do plugue é o mesmo, mas sem o terceiro pino.

O terceiro pino visa evitar que o consumidor sofra um choque elétrico ao ligar aparelhos que estejam em curto-circuito. Neste caso, a corrente elétrica flui e é descarregada pelo sistema de aterramento, evitando o choque no usuário do aparelho.

Mudança

A principal mudança é a exclusão de tomadas e plugues de pino chato. Os aparelhos passam a ter plugues somente com pinos redondos. Dependendo das características do aparelho, ele poderá ter plugue de dois ou três pinos. De acordo com a padronização, os pinos terão diâmetros diferenciados de acordo com a corrente elétrica que o aparelho necessita para funcionar. Essa informação deverá constar na embalagem dos produtos. Terão um diâmetro para aparelho que operam com até 10 ampères e outro para os que operam entre 10 e 20 ampères. Isto impede que um aparelho de maior amperagem possa ser conectado em instalação de até 10, sobrecarregando-a.





PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE