PUBLICIDADE

Empresário que ostenta fuzil em rede social banca placa para Bolsonaro


PUBLICIDADE

08/02/2018 12h56

Empresário que ostenta fuzil em rede social banca placa para Bolsonaro

Hélio de Freitas


 “A propriedade privada deve ser protegida pelo Estado. Bem vindo a Dourados, Bolsonaro”. Essas são as frases escritas em um outdoor instalado na Avenida Guaicurus, para saudar a chegada do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL/RJ), que desembarca às 14h de hoje (8) para encontros com produtores rurais e empresários de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande.

A placa foi bancada pela Embresul, uma empresa de embreagens com duas décadas de funcionamento na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul. O dono da empresa, Romem Barleta, entrou de cabeça na campanha pela candidatura de Bolsonaro e virou um seguidor do deputado carioca, segundo colocado na mais recente pesquisa do Datafolha sobre a corrida presidencial.

Natural de Caiabu (SP) e morando há 25 anos em Dourados, Romem Barleta, 65, afirma que até agora, Bolsonaro é o único pré-candidato que possui condições de mudar os rumos do país e “tirar o Brasil do caos”.

Defensor do direito de propriedade e do direito do cidadão de se armar para se defender, Romem não esconde a simpatia por Jair Bolsonaro e pelas ideias do presidenciável. Em sua página no Facebook, o empresário posa para foto fazendo mira com um fuzil.

“Luto pela cidadania, pela transparência e contra a corrupção. O pretenso candidato envolvido em corrupção não tem meu apoio. Estamos lutando para ter um candidato limpo, para reverter o caos em que o partido está mergulhado. Se ele [Bolsonaro] seguir a linha que está indo, acredito que poderá em alguns anos colocar o país na linha e dar jeito principalmente na corrupção”, afirmou Romem ao Campo Grande News.

 
Romem Barleta com fuzil em foto publicada em sua página no Facebook (Foto: Reprodução)Romem Barleta com fuzil em foto publicada em sua página no Facebook (Foto: Reprodução)

Direito de defesa – Romem Barleta, assim como Bolsonaro, defende o direito de o cidadão possuir e portar armas. “É um direito que defendo de unhas e dentes. Não meço consequências para defender essa bandeira. O país não pode se acovardar na mão de autoridades medíocres, oportunistas e fantasiosas que colocam o patrimônio de cidadãos de bem na mão de marginais. Nas grandes cidades os marginais desfilam com armamento que a polícia não tem e nem o cidadão sonha em ter em casa”.

Ele chama de “políticos vira-latas” os deputados e senadores que aprovaram o Estatuto do Desarmamento. Para Romem Barleta, a medida tirou o direito de o cidadão se defender.

“Não podemos ter esses representantes que nos dão de dedo e tiram o direito de defender nosso patrimônio. Quem entra no patrimônio dos outros têm que arcar com as consequências. Desarmar o povo é covardia, ato de governo de exceção”, declarou o empresário.


 
 




PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Imobiliaria12
PUBLICIDADE