PUBLICIDADE

Família usa marmitaria de fachada para tráfico de drogas e acaba presa


PUBLICIDADE
  • mell280

23/04/2019 11h12

Família usa marmitaria de fachada para tráfico de drogas e acaba presa

O flagrante aconteceu na Rua Agostinho Bacha, no Jardim Monumento, localizado na saída para São Paulo

Viviane Oliveira


 Cinco pessoas, sendo três da mesma família, foram presas por volta das 13h de ontem (22) por traficar drogas usando uma marmitaria como fachada. O flagrante realizado pela Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) aconteceu na Rua Agostinho Bacha, no Jardim Monumento, localizado na saída para São Paulo, em Campo Grande. Foram presos Elisângela Cristina Nagata, 44 anos, o marido dela, Edson Yoshio Nagaishi, 45 anos, o filho do casal, Jorge Luiz Nagata da Silva, além de José Rodrigues dos Santos Neto, 21 anos, e Jefferson Wiler Alves Biagi, 25 anos, conhecido como Cabecinha.

Conforme a Polícia Civil, a equipe já havia recebido uma denúncia em fevereiro deste ano informando que no endereço funcionava empresa de fachada e que as drogas eram entregues em um veículo Honda Civic. No local, os entorpecentes eram fracionados na Marmitaria da Japa e distribuídos na modalidade disque entrega para dependentes químicos.

Após monitoramento, os investigadores perceberam grande fluxo de pessoas, a maioria saía do imóvel levando marmitex. Porém, alguns saíam sem levar nada. Dois ocupantes de uma motocicleta foram abordados deixando o estabelecimento. O passageiro, José Rodrigues, foi flagrado tirando do bolso tablete de maconha e jogando ao chão. Ao ser questionado, acabou confessando que havia mais droga na marmitaria. A moto era pilotada por Jefferson. Na empresa, os policiais foram recebidos por Elisângela que negou a situação, mas permitiu que os policiais entrassem no imóvel.

Enquanto os policiais faziam buscas no quarto, Elisângela começou a quebrar perfumes e objetos de vidro que estavam em cima do armário e precisou ser algemada para não se machucar. No imóvel, foram encontradas várias porções de maconha e cocaína em cima de armários e caixas de isopor fracionadas e embaladas prontas para a venda. Indagado, o casal afirmou que a droga encontrada na casa era do filho, Jorge.

Porém, o rapaz afirmou que não sabia da presença de drogas no imóvel. Na sequência, os pais dele voltaram atrás e disseram que o entorpecente era de José Rodrigues. Além da droga, foram apreendidos R$ 316 em dinheiro, balança de precisão, máquina seladora, dois rolos de insulfilm e uma faca com restos da droga. Em audiência de custódia realizada nesta manhã (23), a Justiça manteve a prisão dos cincos. 

 
 





PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE