PUBLICIDADE

Reinaldo se reúne com diretor da Itaipu para discutir construção de ponte


PUBLICIDADE

14/05/2019 11h01

Reinaldo se reúne com diretor da Itaipu para discutir construção de ponte

Governador vai almoçar com o diretor da usina, José Alberto Alderete Rodríguez, para tratar do projeto

Leonardo Rocha


 O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) vai participar hoje (14), em Porto Murtinho, cidade que fica a 431 km da Capital, de um almoço com José Alberto Alderete Rodríguez, diretor-geral da Itaipu do Paraguai. A pauta do encontro será a construção da ponte entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta.

Esta obra representa para o governo estadual um passo essencial para a implantação da rota bioceânica, que tem a intenção de diminuir a distância, tempo e gastos com transporte de cargas para os países asiáticos, por meio do Oceano Pacífico. O projeto tem previsão de custo de R$ 75 milhões e a expectativa é que a ponte esteja pronta até maio de 2022.

Em março foi feita uma visita técnica no local onde será construída a ponte, que será feita pela Itaipu Binaconal, com recursos da participação paraguaia da usina hidrelétrica. A obra ficará cerca de dez quilômetros da zona urbana de Porto Murtinho. Houve uma força-tarefa para que os trâmites burocráticos fossem resolvidos ainda neste ano, para começar a obra.

O diretor da Itaipu Paraguai ressaltou que a obra será um marco para integração regional entre os países sul-americanos, lembrando que o projeto surgiu após 53 anos da ponte da Amizade, sobre o rio Paraná, que também foi liderado pela usina.

Além da ponte em Porto Murtinho, a Itaipu ainda vai construir outra entre Foz do Iguaçu (PR) e Presidente Franco (Paraguai), também orçada em US$ 75 milhões. A rota bioceânica começou a ser uma pauta fixa no desenvolvimento dos países, estando no planejamento da economia e logística.

Localização - Em Mato Grosso do Sul, a ponte será construída a à direita da zona urbana de Murtinho, a uma distância de 12 quilômetros da cidade brasileira e a 3,5 quilômetros de Carmelo Peralta. O acesso brasileiro demandará a construção de uma alça viária, a partir da BR-267, que liga a cidade ao restante do país.

Ela terá 680 metros, 12 metros de largura e uma passagem lateral para pedestres. O vão principal terá 380 metros, com mais 150 metros entre cada pilar e a margem mais próxima. Cada estrutura do tipo terá 95 metros.


 
 




PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE