PUBLICIDADE

Comboio com milho da Soja Sul Comércio de Cereais inaugura setor de compras da BBCA


PUBLICIDADE
  • mell280

14/08/2019 11h02 - Atualizado em 14/08/2019 16h35

Comboio com milho da Soja Sul Comércio de Cereais inaugura setor de compras da BBCA

Jota Menon


 De um lado os compradores Israel Rondon e Felícia Fang, representando a BBCA Brazil Grup, e de outro, os empresários e vendedores Valdenir Portela Cardoso e Sulivan Paulo Pissolato, representando a Soja Sul Comércio de Cereais. Estes foram os quatro personagens principais de um momento histórico para a economia maracajuense: a primeira aquisição de milho por parte da unidade maracajuense do grupo empresarial chinês BBCA Brazil, o que se constituiu, também, na primeira transação da multinacional chinesa envolvendo pessoas jurídicas.

O ato solene aconteceu na última terça-feira, 13, por volta das 09h00 da manhã, quando um comboio integrado por seis caminhões bitrens da Soja Sul foi recepcionado por vários diretores da BBCA e pela equipe da empresa maracajuense consolidando a primeira aquisição do cereal feita pela empresa chinesa que deve atuar nesse primeiro momento prestando serviços de armazenagem.

Enfileirados, um a um os caminhões passaram pela balança e o pelo serviço de classificação do cereal para, em seguida, rumar para os secadores da empresa que no ato inaugural do processo de aquisição de grãos dos produtores locais anunciou a compra de um lote de 18 mil sacas de milho ou 1.080 toneladas da commodity.

As equipes da Rádio Cidade FM e do Jornal “Maracaju Hoje” fizeram a cobertura do evento, oportunidade em que o representante da empresa chinesa, Israel Rondon, falou sobre a importância daquele momento histórico, enfatizando que a BBCA é uma das mais destacadas corporações empresariais do mundo e que, ao implantar uma unidade fabril no município, contribui para revolucionar o perfil da economia regional.

Utilizando o milho como matéria-prima para a produção industrial de vários produtos, Israel diz que a chegada dessa primeira aquisição significa o marco inicial de um processo que culminará com o processamento do milho resultando a produção de dezenas de subprodutos como o amido, o ácido lácteo e o plástico biodegradável.

De acordo com Israel Rondon, quando estiver em pleno funcionamento, a BBCA vai gerar em torno de 1.000 empregos o que representa um salto muito grande para o mercado de trabalho local.

Os investimentos iniciais previstos na concretização da fábrica são de R$ 1,2 bilhão, mas o projeto industrial final prevê a mobilização de recursos da ordem R$ 2 bilhões.

Israel esclareceu aos ouvintes da Rádio Cidade FM que havia uma previsão de início da industrialização do milho ainda no decorrer do atual exercício, porém, um atraso na importação de alguns equipamentos da unidade industrial provocou o adiamento do início das atividades fabris. Segundo ele, ainda no primeiro trimestre do próximo ano, a BBCA deve iniciar a industrialização do milho.

Até que ocorra o início da industrialização, a BBCA deve atuar como unidade armazenadora proporcionando um primeiro contato entre o grupo empresarial chinês e os empresários rurais do município de Maracaju.

Por sua vez, falando em nome da Soja Sul Comércio de Cereais, o empresário Valdenir Portela não escondeu o contentamento de ser um dos protagonistas da celebração do primeiro negócio firmado pelo grupo empresarial chinês na área de compra de milho no município de Maracaju. Mais do que isso, Portela lembrou que a Soja Sul, da qual é sócio-proprietário juntamente com Sulivan Paulo Pissolato, é uma empresa familiar que hoje inscreve seu nome no mundo empresarial chinês. “Somos uma empresa genuinamente maracajuense que agora tem seu nome vinculado a um grande empreendimento chinês. Isso é motivo de muito orgulho para todos nós da Soja Sul” afirmou o empresário.

Para Portela, o início das atividades comerciais da BBCA tem um significado muito relevante para a economia maracajuense. No seu modo de ver, desde que começou a instalar sua planta industrial no município, já se verificou uma valorização considerável dos imóveis da cidade. “Com certeza, o simples anúncio de que está próxima a inauguração da planta industrial da BBCA trará uma valorização ainda maior dos imóveis urbanos e rurais e fomentará a busca pelo conhecimento por parte de segmentos da sociedade que desejam aproveitar as oportunidades de trabalho que surgirão brevemente na cidade” avaliou o empresário.

De acordo com informações da assessoria da BBCA, a meta da indústria é processar, anualmente, 1,2 milhão de toneladas de milho a partir do momento em que colocar em funcionamento a unidade industrial.

A fábrica deverá ser abastecida pelas lavouras do município e de municípios circunvizinhos, já que os agricultores de Maracaju produzem exatamente a quantia a ser processada pela indústria, mas parte da produção é comprometida com outras empresas que atuam no setor.

Jota Menon

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 




PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE