PUBLICIDADE

Nova solução contra parasitas em bovinos é destaque da Ceva Saúde Animal na Agroleite


PUBLICIDADE
  • mell280

14/08/2019 15h49 - Atualizado em 14/08/2019 16h50

Nova solução contra parasitas em bovinos é destaque da Ceva Saúde Animal na Agroleite

Rafael Iglesias



A Ceva Saúde Animal, uma das maiores indústrias de produtos para saúde animal do mundo, leva à Agroleite (13 a 17 de agosto, em Castro/PR) sua mais recente novidade: o endectocida Eprecis, único indicado em bula contra a úlcera do úbere ou estefanofilariose.

 


“Eprecis é uma solução injetável e pronta para uso, com baixo volume de dose e eficaz para o tratamento dos parasitas em bovinos, como berne, carrapato e mosca-do-chifre e principais vermes redondos gastrointestinais”, explica a gerente de produtos para pecuária leiteira da Ceva, Beatriz Ortolani.

 


Medicamento de amplo aspecto e extremamente seguro, Eprecis® também combate as larvas microfilárias da Stephanofilaria spp., que causam a úlcera do úbere. Esta doença, comum em bovinos leiteiros, também pode afetar humanos e costuma ser mais comum em períodos mais quentes do ano.

 


Beatriz destaca que a solução da Ceva não apresenta período de carência para o leite e apenas 12 dias para o abate dos bovinos de corte. “Eprecis ocupa uma lacuna no mercado brasileiro, que até agora não tinha nenhum produto assertivo, em dose única e carência zero para o leite, que combatesse a úlcera do úbere”, diz.

 


A gerente de produtos para pecuária leiteira da Ceva Saúde Animal também destaca que Eprecis® pode ser usado em fêmeas prenhas em qualquer fase da gestação.

 

Úlcera do úbere

 


Causada por nematódeos (vermes redondos) do gêneroStephanofilaria spp., a úlcera úbere, também conhecida por úlcera de verão ou da lactação provoca lesões, que começam com irritação na pele e surgimento de pequenas vesículas (pápulas), que evoluem para nódulos com secreção e perda de pelos.

 


“Essas lesões causam grande desconforto aos animais e atraem moscas podendo causar bicheiras. As lesões também podem ser contaminadas por microrganismos que dificultam a cicatrização e infectam os tetos e o úbere, acarretando mastites e reduzindo qualidade do leite”, detalha Beatriz Ortolani.






PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE