PUBLICIDADE

Colheita do milho safrinha chega ao fim nas lavouras de Mato Grosso


PUBLICIDADE

24/08/2011 13h30

Colheita do milho safrinha chega ao fim nas lavouras de Mato Grosso

Leandro J. Nascimento Do G1 MT


 A colheita da segunda safra de milho, ciclo 2010/11, chegou ao fim em Mato Grosso. Até o início desta semana, a média verificada no estado chegava a 99,9%, de acordo com atualização do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). O percentual representa um pequeno recuo na comparação com o mesmo período do ano passado, quando, no mesmo período, os trabalhos com o safrinha já tinham sido encerrados no estado.

De acordo com Imea, somente na região Sudeste do estado são registradas atividades no campo relacionadas à segunda safra de milho. Nela, a colheita atingiu 99,6% dos 402.500  hectares destinados à cultura no ciclo 2010/11. Em Mato Grosso, agricultores reservaram para o grão pouco mais de 1,7 milhão de hectares.

A análise do Imea aponta que "boas condições de clima favoreceram o plantio da soja precocemente na região médio-norte e com isso a colheita também ocorreu antes que nas outras regiões, e o plantio do milho conseguiu ficar com a maior parte das áreas prontas até dia 20 de fevereiro", pontuou o boletim informativo.

Conforme o instituto, a produtividade média verificada no médio-norte no estado está em 78 sacas por hectare. No Sudeste, Campo Verde, a 139 quilômetros de Cuiabá, registrou 81 sacas por hectare, de acordo o Imea. Já em Sorriso, a 420 quilômetros da capital, verificaram-se 79,5 sacas por hectare.

Comercialização
A comercialização da segunda safra de milho no estado atingiu, até a semana passada, 66,3%, média superior à verificada no igual intervalo com a safra 2009/2010. Neste último período, o comércio havia atingido 46,8%.

Em Sinop, a 503 quilômetros de Cuiabá, o produtor rural Leonildo Bares já comercializou 100% de tudo o que produziu em aproximadamente 400 hectares. Por outro lado, a falta de chuvas isoladas na região afetou a produtividade na lavoura. Quando começou a plantar milho, Leonildo conta que esperava uma produtividade média de 60 a 80 sacas. Entrentanto, o baixo volume pluviométrico resultou em 20 sacas.

"De 400 hectares plantados, somente o milho de 130 hectares foi aproveitado. O restante virou matéria orgânica", disse o produtor.

O produtor Rogério Arioli também se deparou com uma menor produtividade. Neste ano ele cultivou 560 hectares em Campo Novo do Parecis, a 397 quilômetros de Cuiabá. A expectativa era colher 90 sacas por hectare. Entretanto, devido à interrupção das chuvas ainda no começo do mês de abril, o resultado foi de 63 sacas.

O agricultor já comercializou 20% de toda produção. O restante, estocou à espera de novas altas no mercado do milho.





PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Imobiliaria12
PUBLICIDADE