PUBLICIDADE

Bloqueio na Bolívia entra no 3º dia e Governo ainda não respondeu às reivindicações


PUBLICIDADE

11/07/2020 10h48 - Atualizado em 11/07/2020 10h43

Bloqueio na Bolívia entra no 3º dia e Governo ainda não respondeu às reivindicações

Leonardo Cabral


 Entra no terceiro dia o bloqueio na estrada Bioceânica, em Puerto Suárez, na Bolívia. Fila quilométrica de veículos é registrada, principalmente de caminhões, que fazem o transporte de cargas na região de fronteira entre a Bolívia com Corumbá, no Brasil.

 

Em Corumbá, a fila de caminhões também é grande, pois muitos motoristas aguardam autorização para cruzar ao país vizinho, boa parte deles bolivianos. Porém, com o bloqueio que ocorre internamente na Bolívia, eles seguem esperando dentro e fora dos estacionamentos das transportadoras que ficam na cidade.

Ao Diário Corumbaense, o presidente do Comitê Cívico de Puerto Suárez, Humberto Miglino Rau, reafirmou que o bloqueio, iniciado na quarta-feira (08), deve continuar porque ainda não receberam nenhuma posição em relação às reivindicações.

 

Foto enviada ao Diário por Ercel

Na Bioceânica, fila quilométrica de caminhões aguarda pelo fim do bloqueio

“Tivemos apenas uma reunião com um representante do Ministério de Saúde, que não tem o poder de resolver o problema. Vamos seguir aqui firmes em busca de uma resposta, pois como já havia dito, estamos lutando pela vida”, falou Humberto.

 

O mobilização acontece para chamar a atenção dos governos nacional, departamental e municipal, sobre a situação precária da saúde local, mais precisamente do hospital San Juan de Dios, em Puerto Suárez, o único que atende toda a região. Apesar da infraestrutura física, a unidade de saúde está vazia, sem estrutura alguma para atender os pacientes neste período de pandemia de covid-19 e o hospital mais próximo fica a mais de 600 quilômetros de distância, em Santa Cruz de La Sierra.

 

Foto enviada ao Diário Corumbaense por Ercel

Manifestantes na estrada Bioceânica

“Novo ministro de Saúde assumiu ontem (09) e devemos aguardar que ele possam fazer contato e nos dar uma resposta, porém, enquanto isso não acontece, vamos permanecer com o bloqueio por tempo indeterminado”, afirmou Humberto.

 

O hospital

O hospital San Juan de Dios é classificado pela Serviço Departamental de Saúde (Sedes) como segundo nível. Em cinco anos, não foi realizada nenhuma movimentação para equipá-lo.

Puerto Suárez tem 25.000 habitantes e o hospital San Juan de Dios é um dos pontos de referência na província de German Busch. Atende pacientes de outras cidades como Puerto Quijarro, Roboré e Carmen Rivero Tórrez.

Com a crítica situação do sistema de saúde do lado boliviano, muitos doentes acabam entrando em território brasileiro, por trilhas clandestinas, para buscar atendimento em clínicas particulares e na Santa Casa de Corumbá.

A linha internacional da fronteira entre Brasil e Bolívia está fechada desde março por causa da pandemia do coronavírus. Antes do bloqueio, somente é permitida a passagem de caminhões de cargas nos dois países. 

Saiba mais
 




PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE