PUBLICIDADE

A importância dos diagnósticos na análise de cromatografia gasosa


PUBLICIDADE

27/02/2021 09h16

A importância dos diagnósticos na análise de cromatografia gasosa



 


 

Título da notícia

Na indústria, independente da área de atuação da empresa, é essencial que haja a manutenção preventiva de suas máquinas, garantindo assim, maior otimização no processo operacional e no fluxo de produtos.

As empresas que se arriscam em usar equipamentos que não foram submetidos a manutenção preventiva, corre sério risco de ter prejuízos devido aos danos que esses equipamentos pode ter com o tempo.

Uma das formas mais modernas e eficientes de realizar esse tipo de manutenção é através da cromatografia gasosa.

O que é a cromatografia gasosa?

 

cromatografia gasosa é uma técnica de análise que avalia a concentração de gases dissolvidos no óleo mineral isolante, além de realizar testes para determinar a pureza de substâncias e a separação de componentes de uma mistura.

A formação desses gases no interior do equipamento pode causar uma série de problemas, tais como, fugas de energia entre espiras, tempo de trabalho prolongado – gerando perda de produtividade e, consequente redução dos ganhos da empresa –, mal contato de componentes internos e esforço à altas correntes de curto circuito.

A partir do momento que há o levantamento e diagnóstico desses gases, é possível determinar qual a razão daquele problema estar acontecendo e, quais são as medidas cabíveis para solucionar esse problema que está interferindo no funcionamento do equipamento.

Dessa forma, a análise por cromatografia gasosa é essencial para qualquer empresa, pois, reduz os custos com manutenção e perdas de equipamentos e produtos, além de oferecer a garantia de que o equipamento está funcionando perfeitamente.

A realização do diagnóstico por cromatografia gasosa

O primeiro passo é a obtenção das amostras que serão submetidas a análise. Em seguida, essas amostras são preparadas no laboratório e, com o uso do cromatógrafo gasoso, os gases presentes na amostra são removidos automaticamente, sem que o operador entre em contato direto com elas. Essa estratégia é usada para que o analista responsável não realize ajustes involuntários, além de evitar a contaminação das amostras.

A análise realizada pelo cromatógrafo separa os diferentes gases da amostra obtida, permitindo assim, a identificação e quantificação. O cromatógrafo utilizado pela Lorencini tem a capacidade de quantificar a concentração de uma série de gases, tais como, H2, O2, N2, CH4, CO, CO2, C2H4, C2H6 e C2H2.

O diagnóstico confiável e de qualidade feito através da cromatografia gasosa, permite a avaliação da evolução dos gases com relação às avaliações realizadas anteriormente.





PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • academia374
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE