PUBLICIDADE

Índios protestam contra 'Marco Temporal' e trancam BR 267 em Maracaju


PUBLICIDADE
  • mell280

01/09/2021 14h02 - Atualizado em 01/09/2021 15h24

Índios protestam contra 'Marco Temporal' e trancam BR 267 em Maracaju

Por Hosana de Lourdes


Nesta quarta-feira (01), indígenas da Aldeia Sucuri'y em Maracaju bloquearam a BR-267, no Trevo de acesso a Picadinha, Dourados e Rio Brilhante, próximo a ponte do Rio Cachoeira.  O protesto se dá por conta de que nesta quarta-feira (01/09) serão julgados os processos relativos as terras indígenas no Supremo Tribunal Federal (STF).


A tese do “marco temporal” diz que os indígenas têm direitos apenas às terras que estavam sob sua posse no dia 5 de outubro de 1988, data da promulgação da Constituição Federal. Este entendimento ignora a violência histórica praticada pelo latifúndio em conluio com o velho Estado brasileiro, que expulsou os povos indígenas de seus territórios tradicionais.



O protesto na rodovia em Maracaju que começou por volta das 13h,  um congestionamento de 02 quilômetros já está se formando na rodovia. Índigenas usam galhos, tocos de árvores para o fechamento impedindo a passagem de caminhões, onibus de universitários que vão diariamente a Dourados, carros de passeio,  entre outros veículos por toda BR 267.   


As terras da Aldeia Indígena Sucuri'y é uma área não regularizada, ou seja, terras que, após o decreto de homologação, se vingar o Marco Temporal deixará de ser aldeia haja vista em 1988 não era ocupada por índios, esse é um registro de um exemplo de terras que podem voltar aos seus donos.


Segundo informações essas medidas que devem demorar um tempo para regulamentação vai ajudar nos conflitos indigenas.  O comandante da PM Cel Cleder informou que "a interdição da rodovia pelos índios se deve a protesto pelo julgamento de agora a tarde no STF. Já informamos a PRF de Rio Brilhante que já está deslocando para o local. A PM também está no local tentando negociar a liberação. Contudo, os índios dizem que só vão liberar a rodovia após o julgamento. Estamos acompanhando e tentando resolver a situação," disse


E em Dourados o acesso está fechado também.