PUBLICIDADE

Candidato ao governo, Riedel promete apoiar municípios e ampliar Mais Social


PUBLICIDADE

05/08/2022 17h53 - Atualizado em 05/08/2022 19h00

Candidato ao governo, Riedel promete apoiar municípios e ampliar Mais Social

Ex-secretário anunciou aumento para R$ 450 do auxílio "Mais Social"

Por Gabriela Couto e Guilherme Correia


 Em discurso durante convenção partidária nesta sexta-feira (5), o candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel (PSDB), afirmou que participará de uma das eleições “mais emblemáticas da história do Estado”.



Segundo ele, a chapa tucana está “diante de uma encruzilhada muito difícil”, após sete anos no poder, passando por “duas crises”. Riedel destacou que, mesmo em meio às dificuldades, foi possível se “manter como melhor estado do País”.

Ele prometeu que, a partir de janeiro, o programa Mais Social passará a ser de R$ 450 mensais por família e que se estenderá por mais 14 meses. O benefício de auxílio financeiro é concedido a população de baixa renda.

Em tom “municipalista”, o ex-secretário estadual de Infraestrutura na gestão Azambuja disse que prestará apoio às 79 prefeituras sul-mato-grossenses. “Vocês não vão ter mais que ficar com o pires na mão, esperando a governadoria. Vou continuar o municipalismo.”

Por fim, ele destacou a família, que tem o apoiado durante a corrida eleitoral, e pediu que os eleitores espalhem seu nome nas ruas. “Só estou aqui porque tive a benção da minha família e, principalmente, da minha mãe. [...] Eu preciso que esse exército vá para rua e leve meu nome.”


Passou o bastão - O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) destacou que ocupa, até o fim deste ano, o cargo de chefe do Executivo estadual, por conta do “voto de confiança” dos correligionários, e apoiou o possível sucessor. “Agora estamos com o Riedel, que nunca disputou uma eleição, mas contribuiu muito para transformar o Mato Grosso do Sul no melhor estado do Brasil.”

“Vocês estão aqui porque acreditaram em mim. Peço agora que levem o nome do [Eduardo] Riedel e da Tereza [Cristina] para que continuem o trabalho que estamos fazendo”, disse o governador, mencionando a campanha da ex-ministra da Agricultura Tereza Cristina (PP) ao Senado Federal.

Presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, comentou que o objetivo da chapa é superar a gestão Azambuja, no poder desde 2014. “O desafio do Riedel será fazer um mandato melhor do que o mandato do melhor governador do Brasil.”


Ele também ressaltou a aliança com a candidata a senadora, Tereza Cristina. “Aqui, o voto é ‘casado’. Quem vota em Riedel, vota em Tereza. Quem vota em Tereza, vota em Riedel.”

Tereza, por sua vez, afirmou que trabalhará em prol não apenas do agronegócio, mas também de outras áreas, como a saúde ou o meio ambiente. “Meu estado merece avançar ainda mais. Eu não sou uma candidata, uma deputada federal só do meu segmento. Precisamos, no Senado, de pessoas que queiram implantar mudanças no Brasil.”

Perfil – Eduardo Riedel nasceu em 5 de julho de 1969. É carioca e filho do meio da tradicional família Corrêa de Maracaju, proprietária da Sapé Agro. Os pais Seila Garcia Côrrea e Nelson Riedel se mudaram para o Rio de Janeiro, mas faziam questão de trazer toda a família para curtir as férias em terras sul-mato-grossenses.


Riedel se formou em Ciências Biológicas na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e posteriormente mudou-se para fazer mestrado em Zootecnia na Unesp ( Universidade Estadual Paulista), campus Jaboticabal.

Iniciou a vida pública em 2002, quando se tornou presidente do Sindicato Rural de Maracaju. Missão que levou a ganhar a credibilidade da classe produtora do Estado para assumir o comando da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), em 2006. Na sequência, em 2011, assumiu a presidência do Sebrae-MS e a vice-presidência da CNA (Confederação Nacional de Agricultura). Foi considerado uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio brasileiro.

Em 2015 Riedel foi convidado a assumir a secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica, na posse do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Foi o porta voz do programa Prosseguir durante a pandemia e responsável pela orientação semanal do governo para as pessoas. A última missão antes de sair da administração para disputar a eleição foi comandar a pasta de Infraestrutura, responsável pelas entregas de obras da gestão.


Quando foi secretário de Estado de Governo, Riedel criou e foi o presidente do programa Prosseguir para dar orientações à população durante a pandemia. (Foto: Reprodução)

Quando foi secretário de Estado de Governo, Riedel criou e foi o presidente do programa Prosseguir para dar orientações à população durante a pandemia. (Foto: Reprodução)


 




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • academia374
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE