PUBLICIDADE

Justiça manda candidatos excluírem 'calúnias eleitorais'


PUBLICIDADE

17/10/2020 13h39

Justiça manda candidatos excluírem 'calúnias eleitorais'

Vinícius Siqueira (PSL) e Marcelo Bluma (PV) terão de deletar vídeos ou serão multados

Por Anahi Zurutuza


 A Justiça Eleitoral mandou que os candidatos à prefeito de Campo Grande, Vinicius Siqueira (PSL) e Marcelo Bluma (PV), excluam das redes sociais postagens que configuram “propaganda eleitoral negativa” e “possível calúnia eleitoral” contra Marquinhos Trad (PSD), que concorre à reeleição.

 
 
As 5 liminares foram concedidas, no início da noite de ontem (16), pelos juízes Paulo Afonso de Oliveira e Thiago Nagasawa Tanaka , que fixaram multa de R$ 5 mil a R$ 10 mil por dia de descumprimento da decisão. Os candidatos têm 24 horas para apagarem os postos, a contar a partir da notificação das coligações.
 
O Anúncio termina em 10s
Três das decisões são referentes a vídeo em que Marquinhos aparece reunido com professores e uma mulher fala em microfone sobre a necessidade do prefeito ser reeleito no 1º turno para que a nomeação de concursado saia o mais rápido possível . Tanto Vinícius quanto Bluma insinuam em suas postagens que o chefe do Executivo municipal está tentando trocar o apoio dos servidores por eventual contratação.
 
A defesa de Marquinhos ressalta que “não há qualquer ilicitude na reunião política, pois representa exercício de poder político” e que candidatos aprovados em concursos serão chamados independente do resultado das eleições.
 
Conforme anotado pelo juiz Paulo Afonso, além de estar veiculando propaganda de natureza negativa contra o adversário, o que é vedado pela lei eleitoral, Vinicius Siqueira impulsionou a publicação, ou seja, pagou para que a rede social entregue a postagem para o máximo de pessoas possível, o que também é proibido.
 
O magistrado também ressaltou em uma das decisões que “independente do conteúdo da filmagem e de eventual infração à legislação eleitoral que possa ter praticado o representante [Marquinhos Trad], o que é objeto das ações de investigação judicial eleitoral propostas perante o Tribunal Regional Eleitoral”, as postagens são de cunho pejorativo e com uso de adjetivos que podem configurar difamação.
 
 
 




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • academia374
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE