PUBLICIDADE

Sérgio Reis completa 81 anos e 21 álbuns dele são disponibilizados em streaming


PUBLICIDADE

27/06/2021 08h35

Sérgio Reis completa 81 anos e 21 álbuns dele são disponibilizados em streaming

Ícone do sertanejo, ele iniciou no rock, lançou muitos discos, alguns de seus hits viraram novelas, ele também atuou na tevê e no cinema e chegou a ser deputado federal

O liberal


 Sérgio Reis completou 81 anos na última quarta-feira, 24. O cantor que conquistou o Brasil ao congregar as referências de diversas regiões está tendo a produção da carreira digitalizada em um catálogo disponível na internet.Eduardo Galeno - Divulgação

 
A Sony Music Brasil está restaurando tapes analógicos e projetos gráficos originais do artista, sendo que 21 álbuns dele já estão disponibilizados nas plataformas de streaming, além dos seis que já estavam lá. Confira aqui.Voltam ao catálogo inteiramente remasterizados 16 álbuns originais e cinco compilações, lançados entre os anos de 1973 e 2000. O projeto também inclui playlists temáticas.
 
História na músicaO paulistano Sérgio Basini estreou em 1958, aos 18 anos, cantando rock na Rádio Bandeirantes com o pseudônimo de Johnny Johnson. Mas só gravou o primeiro disco de 78 rotações em 1961, quando já estava conhecido como Sérgio Reis. O projeto incluiu “Lana”, na versão de Roy Orbison.
 
 
O sucesso chegou cinco anos depois com “Coração de papel”, clássico do rock apresentado no programa que Roberto Carlos, Erasmo e Wanderléa tinham na TV Record, Jovem Guarda.Entre 67 e 69 gravou os dois primeiros LPs e em seguida, com o declínio do rock. 
 
 
Dois anos depois, gravou a versão autoral para “O menino da gaita (El Chico de la armonica)”, de Fernando Arbex, uma balada country, que caiu no gosto popular e estimulou um novo álbum, em 1973, com o hit “O menino da porteira”, de Luizinho (da dupla com Limeira, que a lançou em 1955).Dois anos depois veio novo álbum “Saudade da minha terra”, quando passou a adotar um chapelão, lenço e botas de vaqueiro, acompanhados de uma nova performance nos palcos.
 
 
A partir daí, Sérgio Reis se especializou em regravar clássicos da música interiorana brasileira, como “João de Barro”, “Saudade da minha terra”, “Chalana”, “Pé de cedro”, “De papo pro ar”, “Boiadeiro errante”, “Lembrança”, “Rio de lágrimas”, “Chico mineiro”, “Sina de violeiro”, “Pingo d’água”, “Chico mulato” (esta junto com João Pacífico), “Tchau amor”, “Tardes morenas de Mato Grosso”, além das nordestinas “A volta da Asa Branca”, “Súplica cearense”, “Último pau de arara” e “Baião da garoa” (esta, gravada em dueto com o Rei do Baião, Luiz Gonzaga), e com as sulistas “Gaúcho de Passo Fundo”, “Adeus Mariana”, “É disto que o velho gosta”, “Baita macho” e “Panela velha” (Moraezinho/ Ari Silvestre), e o vaneirão “Pinga ne mim” (Elias Filho).Sucesso no cinema, TV e internet.
 
 
Alguns de seus hits viraram filmes que uniram voz e talento como ator, como “O menino da porteira”, que teve a direção de Jeremias Moreira Filho, em 1976, cuja trilha foi lançada em disco logo a seguir.Dois anos depois, outra canção lançada por uma dupla, Pedro Bento e Zé da Estrada, nos idos de 67, ganhou projeção bem maior com Sérgio Reis, “Mágoa de boiadeiro” (Nonô Basílio/ Índio Vago), tornando-se também novo filme de sucesso, do mesmo diretor, cuja canção tema batizou o novo álbum dele em 78.Finalmente, em 81, “Filho adotivo” (Arthur Moreira/ Sebastião Ferreira da Silva), sucesso lançado por ele no LP “Boiadeiro errante”, inspirou mais um filme homônimo tendo o cantor como protagonista.
 
 
 
Dirigido por Deni Cavalcanti, foi levado às telas no início de 84. Na tevê, Sérgio Reis também estrelou novelas e programas musicais de sucesso: “Paraíso” (1982), da TV Globo; “Pantanal”, em 1990, da TV Manchete, ao lado do violeiro Almir Sater, com quem compôs “Peão de boiadeiro”, regravando também “Chalana” e “Trem do Pantanal”. Seis anos depois bisou a parceria no papel de Zé Bento (Saracura) em “O rei do gado”, na Globo.A partir de 1997, apresentou o programa sertanejo Do Tamanho do Brasil, na TV Manchete e, posteriormente, no SBT, e Terra Nativa, na Band.Chegou ao mandato de deputado federal pelo PRB, entre 2014 e 2018. Na “live” durante a pandemia do novo coronavirus, em abril deste ano, Sérgio Reis atraiu 1, 2 milhão de espectadores no YouTube. 
 
 




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • academia374
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE